Há muitos anos, Chorão idealizava um livro apenas de fotografias, para registrar os momentos do Charlie Brown Jr. em turnê e no estúdio. O livro seria como um presente para os fãs mais assíduos, e contava com supervisão direta do vocalista da banda.

Com a morte de Chorão, em 2013, o livro não chegou a ser concluído pelo artista, mas ganha vida hoje, mais de três anos após a sua morte. Eu Estava Lá Também (Editora Realejo) acabou se tornando um registro com ainda mais relevância e carga histórica para os fãs, já que mostra, fatalmente, os últimos momentos do grupo, entre 2005 e 2012, em 230 fotos. Meses depois, Chorão morreria em decorrência de uma overdose e, pouco depois, Champignon cometeria suicídio.

POLÊMICA

O livro, assim como parte do legado deixado por Chorão e pelo Charlie Brown, vem passando por polêmicas devido ao uso dos direitos autorais do artista.

Nas fotos de bastidores, os fãs podem sentir falta de imagens da ex-esposa de Chorão, Graziela, com quem ele foi casado por quase 20 anos e que foi a musa inspiradora de sucessos como “Proibida Pra Mim”. O livro também excluí o nome do fotógrafo Jerri Rossato Lima, que divide a autoria das imagens com Alexandre Abrão, filho de Chorão. Na capa, aparece apenas “um livro criado por Chorão”.

Foto: Divulgação

O fotógrafo alega que o livro lançado agora não foi o mesmo idealizado pelo cantor. Jerri acusa os editores e os herdeiros de excluí-lo da seleção final, alterar o projeto gráfico e retirar as imagens de Graziela. “As fotos  da companheira de Chorão por cerca de 20 anos, Graziela Gonçalves, que faziam parte do projeto original, foram excluídas do livro. A pessoa que inspirou diversas músicas escritas por Chorão foi excluída da sua própria história”, diz Jerri à revista Trip.

No projeto do fotógrafo apresentado à revista, as imagens da ex-esposa aparecem.

Chorão e Graziela (Foto: Reprodução)

Já o filho de Chorão alega que a seleção de fotos publicada foi encontrada no local onde Chorão sofreu overdose. Alexandre alega que o pai, naquele momento, pode ter preferido excluir as imagens de Graziela. Ele diz que as imagens de Jerri deveriam ter atendido ao “grau de exigência” do pai.

Polêmica semelhante aconteceu com o musical Dias de Luta, Dias de Glória, idealizado também pelo filho de Chorão, poucos meses após a morte do pai. A companheira de Chorão por duas décadas, que viveu todos os momentos do Charlie Brown Jr. com Chorão, também não aparece no musical.

Polêmicas à parte, o livro Eu Estava Lá Também é um item que os fãs da banda vão desejar ter em mãos.


Fonte/Reprodução: Cifra News