Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Integrada Rodovida

288
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou nesta sexta-feira, 16 de dezembro, a 1ª fase da Operação Integrada Rodovida Cidades 2016/2017, que se destaca como uma das mais importantes operações realizadas pela PRF. A ação tem por objetivo prevenir acidentes e diminuir a violência no trânsito nas rodovias federais durante o período de fim de ano, férias escolares e Carnaval, quando o movimento nas estradas é intenso.

O período das ações vai compreender, nesta primeira fase, de 16 de dezembro de 2016 a 31 de janeiro de 2017. A segunda fase, que ocorrerá no período carnavalesco, será de 17 de fevereiro de 2017 a 05 de março do mesmo ano.

A Rodovida tem como prioridade a atuação em pontos críticos das rodovias federais. Esses pontos foram descobertos através de análises de dados estatísticos que apontam trechos com maior necessidade de reforço na fiscalização.

Além disso, vão ser realizadas ações de fiscalização focadas nas condutas mais lesivas no trânsito em rodovias federais: ultrapassagens, alcoolemia, excesso de velocidade e uso de equipamentos de segurança. Serão utilizadas equipes especializadas em moto policiamento, operações aéreas e Núcleo de Operações Especiais.

Principal ação de enfrentamento à violência no trânsito brasileiro, a operação reúne desde 2011 as três instâncias de governo em ações simultâneas com objetivo de reduzir o número de vítimas de acidentes e faz parte do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes, criado em 2011 em resposta à decisão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que proclamou o período de 2011 a 2020 como a Década Mundial de Ação pela Segurança do Trânsito.

A prioridade da PRF nesta operação será o combate às infrações de trânsitos relacionadas ao excesso de velocidade, embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas e envolvendo motos. Além dessas infrações, o uso correto de equipamentos como cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacetes também é alvo da fiscalização do Órgão, pois são fundamentais para reduzir os traumas causados em um acidente ou, até mesmo, evitá-los.

Além da fiscalização intensificada, atividades permanentes de educação para o trânsito são desenvolvidas com foco nos comportamentos de risco para que a sensibilização produza mudança de comportamento e, consequentemente, um trânsito mais seguro.


Fonte/Reprodução: Sul Bahia News