Sem apoio do poder público, mulher sofre para criar filho especial em Eunápolis

Sem apoio do poder público, mulher sofre para criar filho especial em Eunápolis

Por Redação / VIA41

 
 
 
 
 
 


Andréia Gomes

Nesta quinta-feira (19/01), Andréia Gomes moradora do bairro Arnaldão em Eunápolis, procurou a reportagem do VIA41, para relatar uma triste realidade que está vivendo juntamente com seu filho de apenas 8 anos que tem paralisia cerebral, tetraparesia espástica, hipotonia, déficit intelectual moderado e tetraplegia. 

A mulher que está vivendo de doações, informa que já procurou por diversas vezes o apoio da prefeitura municipal, a exemplo de fraldas, cadeira de rodas, transporte e cuidador na escola, mas infelizmente nada é solucionado. 

Em abril do ano passado, Andréia procurou a advogada Isaura Monteiro que entrou com uma ação judicial contra o município, solicitando as necessidades da criança, mas a prefeitura contestou. Na defesa informou que a situação é de responsabilidade do governo do estado.

A Dr. Isaura informa que a constituição deixa claro, tanto o poder público municipal e o governo do estado são responsáveis “solidariamente”. 

Enquanto isso a cidadã eunapolitana vem sofrendo para poder criar seu filho especial e pede socorro. 

Categoria:Destaques