Campanha de Lula pede que TSE proíba Bolsonaro de usar vídeos de discurso na ONU em propagandas

Campanha de Lula pede que TSE proíba Bolsonaro de usar vídeos de discurso na ONU em propagandas

A campanha do candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, pediu nesta terça-feira que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determine que o presidente Jair Bolsonaro retire de suas redes sociais vídeos de seu discurso durante a abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas. Em ação protocolada na Corte, os petistas pleiteiam ainda que Bolsonaro seja investigado por abuso de poder econômico por usar o cargo público para fins eleitorais.     Em discurso na sede da ONU em Nova York nesta terça-feota, o presidente, sem citar o nome de Lula, disse que o adversário foi condenado em três instâncias por unanimidade.

— No meu governo, extirpamos a corrupção sistêmica que existia no país — completou Bolsonaro.

"O senhor Jair Messias Bolsonaro mantém a deliberada atitude de confundir as figuras de Presidente da República e de candidato à reeleição ao cargo. Isso significa, na prática, que Jair Bolsonaro, utilizou-se das prerrogativas de seu cargo para fazer campanha eleitoral, rompendo com a isonomia na disputa eleitoral" registram os advogados de Lula.     Os advogados de Lula também pedem que o discurso seja apagado das redes sociais da TV Brasil, além de Facebook e outras contas de redes do próprio Bolsonaro.

"É notório que o uso de imagens do discurso objeto desta AIJE (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) nas redes sociais do candidato Jair Bolsonaro perpetua a ruptura da isonomia do processo eleitoral vigente, porque dá continuidade ao abuso perpetrado, alçando-o à disseminação exponencial característica das redes virtuais" agumentam os advogados de Lula.

Categoria:Destaques