Facebook expande serviço de comércio eletrônico para 17 países da Europa

Marketplace não cobra taxa de compradores ou vendedores e tem como objetivo facilitar para os usuários principalmente a troca de produtos de segunda mão.

Facebook está intensificando movimentos no comércio eletrônico ao expandir um serviço que conecta compradores e vendedores para 17 novos mercados europeus, disse a companhia norte-americana.

Chamado de Marketplace, o serviço fica ao lado dos principais recursos de notícias, fotos, vídeos, mensagens e outras ferramentas do Facebook e marca uma nova competição para pioneiros de comércio eletrônico baseado em comunidades, como o Craigslist e o eBay.

O Marketplace está sendo lançado esta semana na Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça e Holanda.

Lançado há 10 meses em alguns mercados, o Marketplace não cobra nenhuma taxa de compradores ou vendedores e tem como objetivo facilitar para os usuários principalmente a troca de produtos de segunda mão, com a possibilidade de publicação de produtos à venda via smartphone ou computador em menos de 15 segundos.

“Nós queremos tornar a compra e venda mais fácil, mas também queremos fazer isso com base na comunidade”, disse a vice-presidente do Facebook Marketplace, Deborah Liu.

O esforço do Facebook no varejo online ainda precisa apresentar impacto financeiro significativo. A empresa divulgou aumento de 45% na receita, para US$ 9,3 bilhões no último trimestre, quase 98% oriunda de anúncios publicitários em seus serviços gratuitos.