(Foto: Thinkstock)

O leitor Edgar Silva, de Campinas (SP), enviou um vídeo a GLOBO RURAL questionando o uso de cera em uma maçã. Raspando a fruta com uma faca, ele pergunta sobre a cera que deixa a fruta brilhosa. Confira o vídeo:

Consultamos Lenice Magali do Nascimento, pesquisadora científica do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), que trabalha com pós-colheita de citros. O que reveste as frutas brilhantes e apetitosas nos supermercados é, na grande maioria, a mistura de cera de carnaúba e resinas para dar brilho. Estas últimas são feitas à base de colofônia, que assim como a carnaúba, tem origem vegetal. Pode ser utilizada também a cera produzida pelas abelhas, ou ainda a goma laca, que é uma resina produzida por um inseto (Kerria lacca).

O uso das resinas serve apenas para dar brilho e deixar a fruta mais atrativa, mas a cera tem um motivo mais nobre: repor a cera natural dos frutos, que saem com a lavagem e o atrito da escovação pós-colheita. Essa película ajuda a fruta a durar mais. “Após colher a fruta, ela vai ser lavada e escovada para tirar o grosso da sujeita que vem do campo. Com isso, sai também a cera natural que evita que ela transpire mais, e com isso, perca água. Isso gera mais tempo na prateleira”, diz a pesquisadora. Uma fruta sem a cera duraria três dias, contra uma semana ou mais com o revestimento.

maca_pesquisa (Foto: Thinkstock)
Maçãs têm cera natural, afirma pesquisadora (Foto: Thinkstock)

Lenice afirma que as maçãs no Brasil não recebem a cera artificial nas indústrias. “A maioria das frutas que aplicam cera não se come a casca (como o caso de tangerinas, laranjas e abacate). A maçã brasileira não recebe aplicação de cera, a que ela tem é natural. Aqui no Brasil as empresas produtoras de maçã, como o caso da Fisher (que embala o produto com a marca Turma da Mônica e que teve a qualidade questionada em vídeos na internet), não aplicam óleo nem cera a base de carnaúba. Não há necessidade”, explica.

A fruta é colhida, lavada com cloro, e em seguida passa por secagem e vai para a embalagem. “Ela não deve ser escovada como as frutas de cascas mais grossas. O excesso de escovação vai ferir a casca, é uma fruta muito sensível”.

Saúde

Elas não fazem mal à saúde, diz Lenice. Como são ceras naturais, não causam problemas, pois são consideradas aditivos alimentares pela Comissão Europeia, levando-se em consideração a especificidade de diferentes tipos de cera sobre diferentes frutos, além do que a maioria das frutas enceradas normalmente se come sem a casca. A carnaúba, inclusive, é exportada para diversos países na Ásia e Europa, tornando o Brasil o maior produtor do mundo. A plantação de carnaúba fica concentrada na região Nordeste.


Fonte/Reprodução: Globo Rural