Se estivesse vivo, Kurt Cobain completaria 50 anos neste 20 de fevereiro. O líder do Nirvana e um dos maiores símbolos da geração dos anos 90 morreu de forma precoce, aos 27 anos, podendo oferecer muito ainda para a música. Muito já foi falado e discutido sobre o ídolo, por isso resolvemos homenageá-lo de uma forma diferente: listando 5 das músicas que Kurt adorava.

Nada melhor do que conhecer o seu ídolo a partir dos ídolos dele, certo?

A nossa seleção foi baseada em entrevistas com o cantor, na biografia “Mais Pesado que o Céu”, de Charles R. Cross e em uma lista feita à mão pelo próprio Kurt Cobain: nela, o cantor fez um “Top 50″ dos seus álbuns favoritos (confira no final da nossa seleção). Fizemos também uma playlist especial com boa parte dessas músicas, que você pode conferir aqui.

Deixamos de lado alguns clichês – como os álbuns de punk, que foram influência direta no som do Nirvana – e preferimos nos focar naqueles mais inusitados, ou que contam uma história marcante na vida do ídolo.

Kurt Cobain usando uma camisa do Mudhoney: quando seus amigos também são seus ídolos (Foto: Reprodução)

1. Pixies – “Bone Machine”

Kurt disse certa vez que seu sonho era “ter uma banda que soasse como os Pixies“. No fim, Kurt teve uma banda tão importante para o rock quanto o Pixies, mas o cantor sempre reconheceu como a banda de Black Francis “ajudou a quebrar a hegemonia do hard rock” na música. Por essas e outras, vamos de Pixies e de uma das melhores faixas do Surfer Rosa, disco de 1988 que está na lista de “melhores álbuns” do Kurt.

 

2. “I Saw Her Standing There” – The Beatles

Beatles é quase unanimidade quando o assunto é música. Com Kurt Cobain, não seria diferente. Ele cresceu no auge da beatlemania e se lembrava com carinho das tardes em que ouvia os vinis dos Beatles com sua tia, que também era fã de música, quando ainda era uma criança.

A faixa escolhida, “I Saw Her Standing There”, faz parte do álbum de estreia dos Beatles, Meet The Beatles!, que também está na lista de Kurt.

 

3. Mazzy Star – “Fade Into You”

Algum desavisado que escute a voz doce de Hope Sandoval pode estranhar que a quase fofa “Fade Into You” tenha caído no gosto de Kurt. Mas o cantor, para além de excelente músico, também gostava de estudar a fundo o tema (não à toa, sua lista soa bastante eclética). O disco homônimo do Mazzy Star está lá, em posição de destaque. E não se engane com a “fofurice” de “Fade Into You”: o único grande hit da banda de dreampop fala sobre o vício em heroína – pelo menos é o que prega algumas teorias de fãs.

Vale ouvir e conhecer a fundo uma das bandas mais subestimadas pelo mainstream dos anos 90.

 

4. David Bowie – “The Man Who Sold the World”

Às vezes, a admiração de Kurt Cobain por uma música ou por um artista era tão grande que refletia no repertório do Nirvana. Basta lembrar do MTV Unpplugged de 1993, quando Kurt fez questão de colocar sua própria versão de alguns de seus artistas favoritos. Lá tem desde Meat Puppets até David Bowie.

Acabou que ”The Man Who Sold the World“, a sua versão para o hit do terceiro álbum do camaleão, ficou mais famosa que a versão original. Nada que incomodasse ao Sir. David Bowie – muito pelo contrário.

 

E quem iria se incomodar com uma versão bonita dessas?

 

5. Daniel Johnston – “Sorry Entertainer”

Daniel Johnston é um dos artistas mais sensíveis e honestos ainda vivos. Muito além de seu transtorno de bipolaridade ou esquizofrenia – que são comumente lembrados quando se fala sobre o cantor – a sensibilidade e o experimentalismo de Daniel Johnston em sua música foram influência para muitos artistas, de Kurt Cobain a Lana Del Rey.

Hoje Daniel Johnston é um ícone cult, e suas músicas foram trilha sonora de filme indie e ganharam até covers de nomes como Beck, Wilco, Lana Del Rey e Best Coast. Mas Kurt Cobain preferiu fugir do óbvio e escolheu para sua lista um dos álbuns mais obscuros do cantor, Yip/Jump Music, de 1983.

 

Lembra do Kurt usando a clássica camisa do “Hi, How Are You?”, um dos álbuns mais clássicos de Daniel Johnston?

 

Menção honrosa: Mutantes – “Ave, Lucifer”

Esta não aparece no listão de Kurt, mas a gente faz menção honrosa porque: 1 – é música brasileira e 2 – porque Os Mutantes influenciou vários nomes importantes de nossa música, do Brasil e do mundo afora, e Kurt Cobain é a maior prova disso.

Uma das entrevistas mais legais do vocalista do Nirvana rolou durante a passagem da banda no Brasil, em 1993. Ver Kurt Cobain conversando com Zeca Camargo sobre Mutantes é um dos momentos mais legais da MTV brasileira. Segundo ele, o amigo que “aplicou” Mutantes disse: “Quando você for ao Brasil, tem que dizer pra todo mundo o quanto essa banda é incrível! E eu achei incrível mesmo”, disse Kurt.

 

Confira a lista dos 50 melhores discos de Kurt Cobain, escrita à mão pelo próprio cantor:

 


Fonte/Reprodução: Cifra News