A Polícia Civil de Teixeira de Freitas, que vinha desenvolvendo um bom trabalho sob o comando do ex-coordenador Kleber, já demonstra a continuidade do trabalho, agora sob o comando da nova coordenadora, a delegada Valéria Chaves, que manteve como titular o delegado Manoel Andreetta, o qual assumiu o Núcleo de Homicídio, e desde então, mais de 06 homicídios foram elucidados. O delegado comandou a operação que prendeu um dos maiores homicidas do Extremo Sul, o Ivanildo, vulgo “Negão”.

Já sob orientação da coordenadora Valéria Chaves, a equipe liderada pelo delegado  Manoel Andreetta, e composta pelos delegados Bruno Ferrari e Ricardo Amaral e a equipe de investigação, liderada por Sérgio Adriano, após investigações e diligências, elucidaram mais um homicídio. O homicídio, que teve como vítima Fabiano Melgaço Laranjeiras, aconteceu na noite do dia 04 de dezembro de 2016, na Rua Líbano, no Bairro Ulisses Guimarães. Na ocasião, o Fabiano foi socorrido até o HMTF, mas, não resistiu e morreu aproximadamente uma hora depois de dar entrada na Unidade.

Então, a equipe do Núcleo de Homicídio foi a campo e após levantamentos e coleta de informações chegaram ao autor do crime. Trata-se de Nilberto Gonçalves Sousa, vulgo “Tim”, que foi localizado, preso, e confessou a autoria do crime. Os investigadores localizaram a arma de fogo usada no homicídio, 01 revólver Taurus, calibre 38. O acusado foi ouvido pelo delegado Andreetta, e teria relatado que executou Fabiano após a vítima ter ameaçado ele de morte na frente da sua esposa.

O autor ainda disse que Fabiano o insultou, e além de ofender a sua companheira, teria passado a mão nas partes íntimas da mesma. Isso teria causado a ira em Nilberto, que pegou a arma de fogo e disparou contra vítima, e durante a fuga do local, ainda chegou a atropelar o seu desafeto. O delegado encaminhou a arma para o Departamento de Polícia Técnica e a mesma será periciada e passará por comparação junto aos projéteis retirados do corpo da vítima. O delegado, após receber os resultados, irá finalizar o inquérito policial e o remeterá à Justiça.


Fonte/Reprodução: Liberdadenews