Itabela perde em casa e dá adeus ao título de Campeã do Intermunicipal

224

Estava tudo preparado para uma grande festa, que acabou frustrada com a derrota da seleção itabelense por 3 a 0 no jogo final disputado nesta tarde de domingo (8) contra a seleção de Itaberaba no Estádio Manzolão, ficando um gosto amargo de campeão preso na garganta dos torcedores que lotaram literalmente as arquibancadas.

Nos vestiários, alguns jogadores bem que procuraram levantar o astral do grupo com frases e palavras motivadoras, mas desde o apito inicial do juiz Emerson Ricardo, logo ficou evidenciado que a seleção não era a mesma que até agora tinha feito uma campanha brilhante, com 15 vitórias nos 17 jogos realizados, 46 pontos conquistados, com apenas um empate e uma derrota, tendo marcado 48 gols e sofrido 9, fazendo até então a melhor campanha entre as 67 seleções que participaram do Intermunicipal 2016.

Com um gol de Lucas aos 9 minutos e outro de Tobinha aos 20, o jogo terminou o primeiro tempo com 2 a 0 para Itaberaba, graças a falhas do sistema defensivo itabelense.

No intervalo, o técnico Marcos colocou Nego Liso no jogo, mas o resultado não surtiu o efeito desejado e a seleção de Itabela continuou sem poder ofensivo, sem ameaçar a meta do adversário, e acabou tomando mais um gol marcado por Gilmar aos 18 minutos do segundo tempo, fechando o placar final com 3 a 0 para Itaberaba, que levantou o título de Campeão do Intermunicipal com todos os méritos.

No final do jogo, o técnico Marcos reconheceu as falhas e o desânimo do seu time, e deixou claras algumas situações que contribuíram decisivamente para o insucesso na partida final, tendo como principais a falta de pagamento dos atletas, elenco reduzido, perda de jogadores importantes, prorrogação da data da disputafinal pela Federação Baiana de Futebol, problemas que levaram a que não houvesse treinamento nas duas últimas semanas, além da falta de apoio do poder público, situação vivida desde o início, mas que redundou numa espécie de crise bem na reta final, quando tudo deveria estar transcorrendo na mais perfeita paz.

Encerrada a partida, a solenidade de entrega de medalhas e troféus foi tomada por uma grande dose de melancolia, estampada na face dos atletas da seleção itabelense, até mesmo de Elvis e Erick, distinguidos como artilheiro e goleiro na competição, e o desânimo do capitão Ley no recebimento do troféu de vice-campeão.

Como campeã, a seleção de Itaberaba recebeu o Troféu Liedson  da Silva Muniz, que estava presente para as homenagens.

Liedson, baiano de Cairú, iniciou na Seleção de Valença, jogou como profissional em Poções, Prudentópolis, Inter de Santa Maria, Coritiba, Flamengo, Corinthians, Sporting e Porto (Portugal), Seleção de Portugal como atleta naturalizado, tendo como principais títulos o de Campeão Brasileiro, Campeão Paulista, campeão da Taça de Portugal, da Supertaça de Portugal e do Campeonato Português.

Foi-se o tão sonhado, esperado e inédito título, mas fica a certeza de que VALEU SELEÇÃO!

O treinador Marcos Correia, os atletas, artistas da bola, esses sim, cumpriram seu papel, chegaram numa posição inédita, colocaram o nome da cidade de Itabela no topo das páginas de sites, nas colunas de jornais, nos microfones de rádios e nas telas de TVs, prestaram um relevante serviço ao povo lhe proporcionando momentos de intensa euforia e alegria, para compensar as agruras sofridas nesses “tempos bicudos” de dificuldades, incertezas e dúvidas, no presente e em relação ao futuro.