A polícia acredita que após matar a esposa, o assassino dormiu ao lado do corpo, mesmo com a exalação do cheiro ruim l Imagem: Medeiros Dia a Dia

Na tarde desta quarta-feira, dia 4 de janeiro, a Polícia Civil de Medeiros Neto, comandada pelo delegado substituto Jorge Nascimento, prendeu Leanatan Borges Silva, de 22 anos, acusado de assassinar a própria companheira, Maria Vera Silva Rocha, a “Pituxinha”, 49, crime ocorrido na madrugada da última segunda feira (2), na casa onde os dois residiam, localizada à Rua do Pescador, Bairro Aparecida, periferia da cidade.

O corpo da vítima foi encontrado por vizinhos, na manhã desta quarta-feira (4), na cama do casal, em estado avançado de decomposição. Na terça-feira, dia 3 de janeiro, vizinhos perguntaram Leanatan pelo paradeiro da esposa, quando o mesmo relatara que a mesma estava doente. Já na manhã desta quarta-feira (4), Leanatan, mais conhecido por “Natan”, contou para alguns amigos que a companheira havia morrido e desapareceu de Medeiros Neto.

A partir dessa informação as polícias Militar e Civil  passaram a trabalhar no caso, objetivando localizar e prender o suspeito.

Ouvida pelo delegado Jorge Nascimento, uma irmã da vítima disse que “Natan” já havia ameaçado “Pituxinha” de morte e a família deu as características do suspeito. A autoria do crime foi descoberta por volta das 11h e às 16h30, Leanatan Borges Silva, de 22 anos, foi preso nas imediações do distrito de Santa Luzia do Norte, ma conhecido por Patioba, interior de Medeiros Neto.

Em depoimento ao delegado Jorge Nascimento, “Natan” disse que sua companheira era usuária de drogas e que discutiu com ela sobre o vício, quando os ânimos teriam se exaltado e ele, em posse de uma arma, que disse não lembrar-se, golpeou Maria Vera Silva Rocha, a “Pituxinha”, de 49 anos, principalmente na região do pescoço.

Após concluída a oitiva na Delegacia Territorial de Medeiros Neto (DEPOL), o assassino confesso, no início da noite, acabou transferido à sede da 8ª Coorpin, de onde vai seguir nos próximos dias para o Conjunto Penal de Teixeira de Freitas – CPTF.


Fonte/Reprodução: Teixeira News