Novembro azul: entenda sobre o câncer de próstata

Novembro azul: entenda sobre o câncer de próstata

208

Novembro azul: entenda sobre o câncer de próstata

Acabamos de passar pelo famoso Outubro Rosa, um mês dedicado à saúde das mulheres para a prevenção do câncer de mama, no qual, além da conscientização sobre a doença e a importância do autoexame, são organizados mutirões para realização de mamografia em que muitas mulheres aproveitam para colocar seus exames e saúde em dia.

Agora estamos no período do Novembro Azul, uma campanha realizada desde os anos 50, com o objetivo de chamarmos a atenção dos homens para a importância do cuidado com a saúde, especialmente o câncer de próstata.

Esse tipo de câncer acomete milhares de homens todos os anos, podendo levar até a morte. Segundo dados de 2014 do Inca (Instituto Nacional do Câncer), estima-se que por ano aconteçam 69 mil casos novos da doença, o que é equivalente a 7,8 novos casos detectados por hora.

Um dos maiores problemas no caso masculino, é a falta de cuidado com a própria saúde e o pré-conceito com os exames de rotina. Enquanto as mulheres constantemente se consultam com seus médicos e mantêm seus exames em dia, os homens postergam os cuidados. Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Urologia, em 2015, demonstrou que 51% dos homens nunca foram em uma consulta com um urologista.

O câncer de próstata, quando detectado precocemente, tem mais chances de cura e de receber tratamentos menos invasivos, com a possibilidade de não precisar passar por uma cirurgia, apenas acompanhamento médico em uma vigilância ativa.

No decorrer deste artigo explicarei mais sobre essa doença, o que é a próstata e a importância da prevenção com idas periódicas ao seu urologista.

 

O que é próstata?

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor presente apenas nos homens, localizada na região pélvica abaixo da bexiga. Seu formato se assemelha ao de uma noz com peso de aproximadamente 20 gramas. Sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Dentro da próstata é produzida a secreção que nutre e transporta os espermatozóides, o líquido prostático, que corresponde a 30% do volume do esperma ejaculado e é ele que dá a aparência leitosa.

Além de nutrir, o líquido prostático protege os espermatozóides da acidez presente na vagina e os torna mais fortes, prolongando a vida deles e os tornando mais móveis, o que aumenta as chances de fecundação do óvulo.

Apesar de sua função importante, a próstata não é um órgão essencial para a vida e qualquer pessoa pode viver normalmente sem ela, caso seja necessário sua retirada por meio de cirurgia.

O câncer de próstata

De acordo com o INCA, após os tumores de pele, o câncer de próstata é o segundo mais comum em homens no Brasil e o sexto mais comum no país. Estima-se que 1 a cada 6 homens irão desenvolver a doença no decorrer de suas vidas. Uma boa notícia é que apesar da grande incidência, os riscos de mortalidade vem diminuindo a cada ano: 40% nos últimos 15 anos nos países mais desenvolvidos, o que se deve ao crescimento de diagnósticos precoces e melhoras no tratamento da enfermidade.

Apesar do decréscimo de mortalidade da doença, muitas pessoas ainda vêm a óbito devido a esse câncer, o que se deve à descoberta tardia da doença. O câncer de próstata acontece quando as células da próstata se multiplicam de forma desordenada. É necessário que os exames preventivos sejam feitos constantemente, pois a doença pode demorar para se manifestar, sem esses exames pode ser que a descoberta da enfermidade seja feita em estágio avançado, aumentando as chances de mortalidade.

Sintomas do câncer de próstata

O desenvolvimento do câncer de próstata está diretamente ligado ao envelhecimento masculino e o risco aumenta após os 50 anos de idade. Essa faixa de idade representa 40% dos homens que desenvolvem o tumor, mas a média de diagnóstico gira em torno dos 69 anos e os que possuem maior risco de falecimento estão acima de 77 anos.

No início, os sintomas do câncer de próstata não se manifestam. Em 95% dos casos a doença aparece quando está em desenvolvimento, aumentando os riscos de morte. Por isso, é fundamental realizar os exames de rotina para a prevenção. Entre os sintomas mais comuns que podem se manifestar, temos:

  • Vontade de urinar com urgência
  • Dificuldade para urinar
  • Precisar levantar da cama várias vezes a noite para urinar
  • Dor ou ardor quando urina
  • Sangue no líquido seminal
  • Dor óssea
  • Fortes dores pelo corpo
  • Insuficiência renal
  • Queda geral do estado de saúde

 

Fatores de risco

É preciso estar atento a fatores que podem aumentar a probabilidade de desenvolver um tumor na próstata, dando mais ênfase ainda aos exames preventivos e ir ao médico assim que qualquer um dos sintomas se manifestar. Os fatores que contribuem para o crescimento de incidências, são:

  • Idade (62% dos casos ocorrem em homens acima dos 65 anos)
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Alimentação inadequada
  • Antecedentes familiares
  • Etnia (negros possuem maiores probabilidade de desenvolver a doença)

 

Diagnóstico do câncer de próstata

É recomendado que homens a partir dos 50 anos (45 anos para aqueles que se enquadram nos fatores de risco) passem anualmente com seus urologistas para a realização dos exames preventivos

Existem dois exames utilizados para a realização do diagnóstico: a dosagem sérica do PSA e o exame digital retal, complementares para o diagnóstico preciso.

A dosagem sérica do PSA (proteína do sangue) é detectada por meio de um exame de sangue e quando possui alteração, juntamente com alguma alteração detectada no exame de toque, pode indicar que o paciente possui um tumor, o que levará a realização de mais exames complementares para conclusão do diagnóstico.

O exame de toque é responsável pela detecção de 20% dos cânceres que podem não ter alteração em sua dosagem de PSA e é uma fonte essencial para a confirmação da enfermidade. Por meio do toque retal é detectado qualquer endurecimento ou nódulo presente na próstata e com base nele é possível saber qual será o melhor tratamento.

novembro azul

Tratamentos utilizados no câncer de próstata

O tratamento utilizado para a contenção da doença varia de acordo com a fase em que o tumor se encontra e as características do paciente. Apenas durante consulta médica é possível definir qual é o tratamento mais adequado para cada caso.

Geralmente, nos estágios iniciais da doença, a prostatectomia radical é o tratamento mais recomendado, que consiste na retirada da próstata, das vesículas seminais e linfadenectomia ilíaco-obturadora bilateral. Esse tratamento possui altos índices de cura completa dos tumores.

Para os pacientes que são considerados de risco intermediário ou alto, o mais recomendado é a linfadenectomia estendida.

Complicações do câncer de próstata

Com as prevenções anuais e a realização dos exames, as doenças e complicações penianas diminuem muito, mas o tratamento relacionado ao câncer pode trazer algumas consequências aos homens, como disfunção erétil, fibrose e encurtamento do pênis.

É necessário que todo paciente esteja ciente sobre essas possibilidades e que em sua recuperação seja oferecida uma solução como uma prótese peniana, para que sua recuperação se torne mais rápida, pois a baixa autoestima gerada pelo encurtamento do pênis, pode levar a complicações psicológicas e diminuir a qualidade de vida do paciente quando não solucionada.


Fonte e Reprodução: www.blogbemestar.com.br